sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Suporte da apresentação no Seminário final do projeto EAThink

Depois do Seminário Internacional Viena, em setembro, em que a nossa escola esteve representada pela professora Ana Isabel Lopes, em 18 de novembro teve lugar o Seminário Final do Projeto EAThink, na Fundação Calouste Gulbenkian, em que esteve presente a professora Helena Espírito Santo.

Foi um momento interessante para partilhar experiências das diferentes escolas envolvidas a nível nacional, havendo, no entanto, outros participantes que se interessam por estas problemáticas por diferentes motivos. Além de sessões plenárias, realizaram-se em simultâneo 3 sessões temáticas em simultâneo, quer de manhã quer de tarde, com a seguinte metodologia: apresentação das concretizações de cada escola convidada a expor, seguida de trabalho de grupos para reflexão sobre a temática/natureza da concretização, ganhos e perspetivas.

De manhã a representante da nossa escola, participou na sessão sobre Atividades Experienciais, em que 3 escolas relataram as sua experiências assentes quase exclusivamente em Hortas Comunitárias. Entre aquelas escolas, tudo indicou que apenas a nossa escola realizou uma visita de estudo como a que foi realizada à ES de Turismo e Tecnologias do Mar - IPLeiria, em Peniche, onde os alunos tiveram a possibilidade de experienciar sabores, texturas em ambiente laboratorial. Os grupos constituídos comentaram e apresentaram o que o projeto EAThink despertou nos intervenientes nas diferentes escolas e pistas para se dar seguimento e divulgar o que se faz.

Professora de Escola da Charneca da Caparica mostra as conclusões do grupo enquanto o porta-voz expõe.
 Nas sessões da tarde, a professora Helena Espírito Santo integrou a sessão Eventos Comunitários onde apresentou os FAS - Festival de Alimentação Sustentável 1 e 2, que foram realizados na nossa escola entre 2015-16 e 2017-18. As restantes apresentações tiveram como objeto Mercados de produtos hortícolas, maioritariamente orgânicos.

Peixes construídos no âmbito do projeto da Escola do Entroncamento: peixes de rio.
Causaram algum impacto nos presentes quer a tónica na alimentação vegetariana e sua degustação, quer os fornos solares quer ainda as bolachas de farinha de inseto. Em grupo, mais uma vez, houve oportunidade de estabelecer contactos e trocar informações, pelo que estes momentos se revestiram de grande importância.

Food Cloud

Durante parte do mês de outubro, tivemos a possibilidade de ter na nossa escola a exposição da Food Cloud.

Também a construção e o transporte deste núcleo encerram também em si uma forma de reaproveitamento de espaço e elementos constituintes.

Workshop com degustação de alimentação vegetariana

Este workshop foi orientado por  Ana Castro, da Sabor Fazer.

Ana Castro explicou, envolveu os participantes no sentido de meterem a mão na massa: das mini panquecas, do pudim de chia; na preparação de tapas com queijo vegan. E o resultado viu-se.




Enfim! Houve quem ficasse fã, quem dissesse ir repensar se gostaria de ser vegetariana... Mas foram momentos muito interessantes e que despertaram verdadeiramente o entusiasmo de todos.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Mimos para todos

Todos os nossos convidados receberam uma singela lembrança.

Saco personalizado,

Kit "Fruta tropical justa"

Sementes de abóbora (particular)

Marmelo/Gâmboa do jardim da ESFRL

Degustação no 2º FAS

Este era, sem dúvida, o momento mais aguardado do nosso Festival. Foi também o momento do FAS se aproximar de toda a comunidade.

  

As três voluntárias Beatriz, Helena e Márcia não tiveram mãos a medir a distribuir as surpresas que fizeram as delícias de todos.
  

Assim, muitos tiveram a possibilidade de degustar hambúrgueres vegetarianos, preparados pela nossa convidada Helen Carter, e maçãs, oferecidas pelo nosso parceiro Frutas Cordeiro e Cª.

Como complemento à fruta da época, a distribuição de um kit de informação sobre a ação "Fruta tropical justa", em Portugal promovida pelo Instituto Valle Flôr.

Aproveitar para alimentar (Refood Leiria) - 2º FAS

Com a presença da voluntária Anne Nogueira, os alunos de duas turmas de 10º e 11º anos tiveram a oportunidade de conhecer movimentos contra o desperdício alimentar, nomeadamente, o Refood e, em particular, o Refood Leiria.

Partindo de uma abordagem geral em que, entre outros aspetos, foi dado a conhecer se o desperdício alimentar fosse um país seria o 3º país do mundo, foi possível conhecer diferentes formas de ultrapassar este problema e de "aproveitar para alimentar".


No fim, houve ainda oportunidade dos alunos fazerem algumas perguntas sobre a Refood Leiria, às quais também o voluntário César Lopes respondeu.